Psicoterapia da Criança

criança.jpg

A experiência infantil acompanha-nos pela vida fora, e assim, podemos admitir que, tal como a Obra tem uma estrutura de base, e toda a construção um alicerce, também a personalidade tem uma base o alicerce, que é a infância. Tal como o edifício depois de acabado, retocado e experimentado, não pode dispensar os alicerces, também a pessoa não pode mentalmente anular a experiência e as vivências de sua criação. As pessoas adultas e equilibradas guardam saudavelmente certos factos infantis ou juvenis.

"Ensinaram-me a ler o mundo à minha volta" - João dos Santos

A criança não consegue como nós adultos explicar por palavras o que se passa com ela. Perceber a criança e chegar ao seu mundo interno, não é fácil. É através do comportamento e de variados sintomas que tem como expressão o corpo que criança expressa o seu mal estar. A agressividade, a tristeza, medos e fobias, somatizações, dificuldades cognitivas, são disso prova.


A estrutura psíquica de cada criança reflete a estrutura da família e da comunidade em que se criou e fui crescendo. Reflete também as iterações entre pais e filhos nas suas pessoas diversificadas como figura maternal e figura parental. Os problemas infantis são essencialmente problemas da relação, do sistema de comunicação, através do qual se permutam emoções e sentimentos.